Estudar é muito importante. Mas pode-se estudar de tantas maneiras! José Carlos Ary dos Santos
.posts recentes

. Cidade do Porto em slide-...

. Organização Temática

. Literatura Portuguesa

. Sophia de Mello Breyner A...

. António Gedeão

. Eugénio de Andrade

. cecília de meireles

. "A Lua de Joana"

. Alice Vieira

. Aula de avaliação

.arquivos

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.links
Sexta-feira, 29 de Dezembro de 2006
Eugénio de Andrade

http://catarinia.no.sapo.pt/Universo%20Catariniano/eugenio_andrade.jpeg

Eugénio de Andrade nasceu na Póvoa da Atalaia, no Fundão.

Ao longo da sua vida viveu em Lisboa, em Coimbra, onde terminou o liceu, e no Porto onde viveu durante largos anos.

Eugénio de Andrade é considerado um dos maiores poetas portugueses contemporâneos, encontrando-se a sua obra traduzida em várias línguas.

http://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/eugenio.htm
(texto com supressões)
 

OBRAS DE EUGÉNIO DE ANDRADE

 

As Mãos e os Frutos,1948);
Os Amantes sem Dinheiro,1950;
As Palavras Interditas,1951;
Até Amanhã,1956;
Coração do Dia, 1958;
Mar de Setembro, 1961;

Ostinato Rigore
, 1964;
Antologia Breve, 1972;
Véspera de Água, 1973;
Limiar dos Pássaros,1976;
Memória de Outro Rio, 1978;

Rosto Precário,
1979;
Matéria Solar, 1980;
Branco no Branco, 1984;
Aquela Nuvem e Outras, 1986;
Vertentes do Olhar, 1987;
O Outro Nome da Terra, 1988;
Poesia e Prosa, 1940-1989;
Rente ao Dizer,
1992;
À Sombra da Memória, 1993;
Ofício de Paciência, 1994;
Trocar de Rosa / Poemas e Fragmentos de Safo, 1995;
O Sal da Língua,1995

 

Poemas

 

Faz de conta

  

- Faz de conta que sou abelha.
- Eu serei a flor mais bela

- Faz de conta que sou cardo.
- Eu serei somente orvalho.

- Faz de conta que sou potro.
- Eu serei sombra em Agosto.

- Faz de conta que sou choupo.
- Eu serei pássaro louco,
   pássaro voando e voando
   sobre ti vezes sem conta.

- Faz de conta, faz de conta.

 

Frente a frente

Nada podeis contra o amor,
Contra a cor da folhagem,
contra a carícia da espuma,
contra a luz, nada podeis.

Podeis dar-nos a morte,
a mais vil, isso podeis
- e é tão pouco!

      

Sítios Web sobre o poeta

  

Fundação Eugénio de Andrade
http://www.fe.up.pt/fea
http://alf.fe.up.pt/fea/central.html

  

Informação sobre a Fundação Eugénio de Andrade
http://www.citi.pt/cultura/literatura/poesia/e_andrade/fun_and.html

Biografia de Eugénio de Andrade
http://www.ipn.pt/literatura/eugenio.htm

Prémio vida literária para Eugénio de Andrade
http://portugal-linha.pt/literatura/noticias.html

 

 

 

 Webliografia

http://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/eugenio.htm

http://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/faz-conta.htm

 


Inês Gil, 12 anos, 6ºC
(Actualizado em 25.06.07)
publicado por aprendizagensnanet às 19:43
link do post | comentar | favorito
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.links
.subscrever feeds