Estudar é muito importante. Mas pode-se estudar de tantas maneiras! José Carlos Ary dos Santos
.Direitos de Autor
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
.posts recentes

. Cidade do Porto em slide-...

. Organização Temática

. Literatura Portuguesa

. Sophia de Mello Breyner A...

. António Gedeão

. Eugénio de Andrade

. cecília de meireles

. "A Lua de Joana"

. Alice Vieira

. Aula de avaliação

.arquivos

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.links
Sexta-feira, 29 de Dezembro de 2006
Eugénio de Andrade

http://catarinia.no.sapo.pt/Universo%20Catariniano/eugenio_andrade.jpeg

Eugénio de Andrade nasceu na Póvoa da Atalaia, no Fundão.

Ao longo da sua vida viveu em Lisboa, em Coimbra, onde terminou o liceu, e no Porto onde viveu durante largos anos.

Eugénio de Andrade é considerado um dos maiores poetas portugueses contemporâneos, encontrando-se a sua obra traduzida em várias línguas.

http://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/eugenio.htm
(texto com supressões)
 

OBRAS DE EUGÉNIO DE ANDRADE

 

As Mãos e os Frutos,1948);
Os Amantes sem Dinheiro,1950;
As Palavras Interditas,1951;
Até Amanhã,1956;
Coração do Dia, 1958;
Mar de Setembro, 1961;

Ostinato Rigore
, 1964;
Antologia Breve, 1972;
Véspera de Água, 1973;
Limiar dos Pássaros,1976;
Memória de Outro Rio, 1978;

Rosto Precário,
1979;
Matéria Solar, 1980;
Branco no Branco, 1984;
Aquela Nuvem e Outras, 1986;
Vertentes do Olhar, 1987;
O Outro Nome da Terra, 1988;
Poesia e Prosa, 1940-1989;
Rente ao Dizer,
1992;
À Sombra da Memória, 1993;
Ofício de Paciência, 1994;
Trocar de Rosa / Poemas e Fragmentos de Safo, 1995;
O Sal da Língua,1995

 

Poemas

 

Faz de conta

  

- Faz de conta que sou abelha.
- Eu serei a flor mais bela

- Faz de conta que sou cardo.
- Eu serei somente orvalho.

- Faz de conta que sou potro.
- Eu serei sombra em Agosto.

- Faz de conta que sou choupo.
- Eu serei pássaro louco,
   pássaro voando e voando
   sobre ti vezes sem conta.

- Faz de conta, faz de conta.

 

Frente a frente

Nada podeis contra o amor,
Contra a cor da folhagem,
contra a carícia da espuma,
contra a luz, nada podeis.

Podeis dar-nos a morte,
a mais vil, isso podeis
- e é tão pouco!

      

Sítios Web sobre o poeta

  

Fundação Eugénio de Andrade
http://www.fe.up.pt/fea
http://alf.fe.up.pt/fea/central.html

  

Informação sobre a Fundação Eugénio de Andrade
http://www.citi.pt/cultura/literatura/poesia/e_andrade/fun_and.html

Biografia de Eugénio de Andrade
http://www.ipn.pt/literatura/eugenio.htm

Prémio vida literária para Eugénio de Andrade
http://portugal-linha.pt/literatura/noticias.html

 

 

 

 Webliografia

http://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/eugenio.htm

http://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/faz-conta.htm

 


Inês Gil, 12 anos, 6ºC
(Actualizado em 25.06.07)
publicado por aprendizagensnanet às 19:43
link do post | comentar | favorito
|
.Direitos de Autor
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.links
.Direitos de Autor
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Free Counters
.subscrever feeds